O INSTITUTO

01

HISTÓRIA


O Instituto Sucessor iniciou a sua história em março de 2001. Após doze anos como consultora de empresa familiar percebi que era chegado o momento de formar uma equipe para me apoiar no trabalho com jovens herdeiros. Na época, com a parceria de velhos amigos, fundamos o Instituto Sucessor e demos inicio a um projeto inovador, um curso de formação de sucessores. Foram meses de planejamento para dar forma ao produto, que modéstia à parte ficou maravilhoso. Mas olhando para trás, hoje percebo que o projeto foi audacioso. Na época pouco se comentava sobre sucessão, e os tabus e crenças sobre o tema eram muitos. Apesar das adversidades do caminho, nunca desisti do sonho de ter um espaço dedicado ao desenvolvimento da família empresária. E passado esses anos, novas parcerias foram feitas e o Instituto Sucessor

foi redesenhado se tornando uma conquista coletiva, que não tem apenas um único responsável. Foi um sonho de um grupo de sócios fascinados pelo trabalho e pela oportunidade de difundi-lo amplamente. O Instituto Sucessor não seria possível sem a confiança de nossos clientes, sem a parceria de exemplares profissionais com quem temos a oportunidade de trabalhar e conviver, e sem a excelente equipe que formei. Desde sua concepção o Instituto Sucessor vem superando todas as expectativas e seu sucesso só aumenta a nossa responsabilidade de primar por um trabalho consistente à altura de credibilidade de nossos clientes e alunos, sem abrir mão dos nossos valores e da transmissão da nossa experiência e conhecimento.

Magda Geyer Ehlers

02

LINHA DO TEMPO

1989


Fundação da Geyer Ehlers e início do trabalho solo de Magda Geyer Ehlers como consultora de empresa familiar.


1995


Início do trabalho com a nova geração, por meio do Plano de Desenvolvimento de Herdeiro – PDH, na época denominado de PDI.  Surgem as primeiras parcerias de trabalho.


2001


Nasce o Instituto Sucessor com a missão de preparar a nova geração. É lançado em parceria com o CENEX o primeiro curso de Formação para Sucessores de Empresas Familiares. Participação ativa no grupo de profissionais  que instituiu o Capitulo Sul do IBGC.


2002


A primeira equipe é estruturada e os projetos de consultoria passam a incluir  todos os membros da família empresária, além do grupo de sócios. Dá-se início aos trabalhos de convenção familiar, centro de memórias e com o grupo da nova geração.


2004


Primeira edição do Fórum de Esposas de Empresários. Criação de um espaço para trabalhar o papel das mulheres na família empresária.


2005


Início do programa de Intercâmbio, do trabalho de Coaching e dos Fóruns de Fundadores e Sucessores.


2009


Ingresso das sócias Márcia Borges Fortes e Lisiane Rodrigues Vieira. Ênfase na gestão de carreira de herdeiros e nos programas de educação.


2012


Aumento da equipe do Instituto Sucessor e expansão dos projetos. Mudança de sede e começo dos cursos de capacitação para organizações não clientes da consultoria.


2013


Primeira edição dos cursos de Formação do Instituto Sucessor. Início do Conselho Consultivo.


2015


Restruturação estratégica e fusão das marcas Geyer Ehlers e Instituto Sucessor.


2017


Magda e Lisiane ganham prêmio do TOP Ser Humano da ABRH-RS pelo trabalho desenvolvido nos PDH's - Planos de Desenvolvimento de Herdeiros.


03

QUEM SOMOS


O Instituto Sucessor existe desde 1989 para levar soluções em sucessão para empresas de controle familiar no sul e sudeste do Brasil.

Somos especializados em GESTÃO DA SUCESSÃO, com o foco nas áreas de consultoria, desenvolvimento e capacitação da família empresária.

Consultoria


Nossa consultoria em GESTÃO DA SUCESSÃO atua junto a famílias empresárias e empresas de controle familiar organizando projetos de sucessão nas esferas societária, empresarial e familiar.

 

Desenvolvimento


Apoiamos o desenvolvimento dos membros da família empresária levando em conta o projeto de GESTÃO DA SUCESSÃO. 

Trabalhamos com foco na missão pessoal, autoconhecimento, reflexões de carreira, conscientização, estimulo ao desenvolvimento e conexão com legado familiar. 

 

Capacitação


Buscamos capacitar a família empresária por meio de palestras, workshops e cursos voltados para o desenvolvimento do papel de acionista, destacando as responsabilidades com o negócio, sociedade e patrimônio familiar.

04

EQUIPE


Nossa equipe trabalha de forma integrada nos projetos de GESTÃO DA SUCESSÃO, com foco nas áreas de consultoria, desenvolvimento e capacitação. Temos um time de consultores multidiciplinar para melhor atender cada família de forma única. 

 

Magda Geyer Ehlers


Sócia Fundadora

Psicóloga, consultora de empresa familiar, palestrante profissional e professora do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa - IBGC, nos estados do RS, PR, SP, RJ e MG. Pioneira no trabalho com famílias empresárias, possui mais de 27 anos de experiência em projetos de planejamento sucessório, mediação familiar, implantação da governança e reorganização societária e empresarial. 

magda@sucessor.com.br

Lisiane Rodrigues Vieira


Sócia Consultora

Psicóloga com especialização em gestão de carreira, psicologia organizacional, pós-MBA em liderança e formação em coaching executivo e empresarial. Professora convidada da Faculdade de Desenvolvimento do Rio Grande do Sul - FADERGS. Atua nos projetos de gestão da sucessão, coaching, gestão de carreira de herdeiros e faz parte de comitês ligados a conselhos. 

 

lisiane@sucessor.com.br

Daiane Vargas Garcia


Consultora Associada

Especialista em gestão de pessoas, análise transacional 202, com formação em coaching executivo e empresarial. Atua nos projetos de gestão da sucessão, assessment, coaching, gestão de carreira de herdeiros. 

daiane@sucessor.com.br

João Prates


Consultor Associado

Advogado e administrador de empresas, com especialização em direito empresarial, psicologia organizacional, formação em coaching e mentoring. Certificado pelo “programa iberoamericano para consultores de empresa familiar” da Fundação Nexia – Barcelona/ Espanha. Atua nos projetos de gestão da sucessão, coaching e implantação da governança corporativa. 

 

joao@sucessor.com.br

Marcelo Geyer Ehlers


Sócio

Engenheiro de Produção com MBA em Gerenciamento de Projetos. Atua como gestor administrativo e de projetos.  É também parceiro na implantação de family offices através da INEO.

 

marcelo@sucessor.com.br

Sheila Espíndola


Coordenadora Administrativa e Financeira

Administradora de empresas, com MBA em Gestão Estratégica de Negócios, Especialização em Projetos Estratégicos e Pós - graduanda em Gestão Escolar. Atua nas áreas Administrativa e Financeira.

administrativo@sucessor.com.br
06

PARÁBOLA


O rabi Ioshua, filho da rabi Hanina, disse: 

“Certa vez uma criança arrebatou o melhor de mim. Eu viajava e me encontrava diante de uma encruzilhada. Vi então um menino e lhe perguntei qual seria o caminho para a cidade. Ele respondeu: “Este é o caminho curto e longo e este longo e curto”. Tomei o curto e longo e logo deparei com obstáculos intransponíveis de jardins e pomares. Ao retornar, reclamei: “Meu filho, você não me disse que era o caminho curto?” O menino então respondeu: “Porém lhe disse que era longo!” Na trilha da sobrevivência, a “mesmice” muitas vezes é o caminho curto, o mais simples, e que tem os custos mais elevados (longo). Ir pelo caminho mais simples e mais curto é uma lei evolucionista. Certamente os corpos se movem na direção mais imediata e curta. Os galhos buscam a luz e o animal a água, mas sua inteligência interna, sua alma, está atenta a longas modificações. A tentativa de sobrevivência acontece nos campos de batalha do mundo curto e do mundo longo. As chances de extinção dos que percorrem caminhos curtos que são longos é muito grande. As espécies sobreviventes são aquelas que souberam fazer opções pelo longo caminho curto. 

Em nosso dia-a-dia sabemos muito bem quais são os processos curtos e quais são os longos. Fazemos também nossas opções por padrões que optam pelo curto. Mas nossos mecanismos de detectar se são “curtos longos” ou “longos curtos” existem e sempre estão aí para apontar novos inícios, por exemplo, de relações de trabalho, amor ou amizade. 

A coragem está em ouvir o menino das encruzilhadas. Ele, com certeza, alerta para ambas as possibilidades de caminho. Este menino das encruzilhadas é a alma. Não se assuste com as parábolas que falam de demônios dissimulados nas encruzilhadas. Os demônios das encruzilhadas querem sempre apontar os caminhos mais “curtos”. Ninguém que alerte para o fato de que os "curtos podem ser longos” e os “longos podem ser curtos” é de ordem demoníaca. 

Afinal, as encruzilhadas são de grande importância. Não são meras opções de acesso, mas de sobrevivência, e o curto caminho longo pode não levar a lugar algum. Se você estiver diante de uma encruzilhada, lembre-se do menino e preste atenção para não ser seduzido, pelo corpo, por um caminho curto. Lembre-se de que a paz está primeiro com quem vem de longe.

Fonte: “A alma imoral” – Nilton Bonder